Especialistas no Japão alertam sobre grande terremoto.

terremoto kumamoto

O Japão está localizado sobre três placas tectônicas: Eurasiana, das Filipinas e do Pacífico. Cada uma delas foi formada a partir de “colagens” de placas mais antigas e, por isso, sua formação é cheia de irregularidades, chamadas de falhas.

O terremoto ocorre justamente quando essas falhas se “acomodam”.

Segundo estimativas da Universidade de Tóquio, existe 98% de possibilidade de que nos próximos 30 anos aconteça o que eles chamam de Grande Terremoto de Kanto, em uma área onde se encontra a capital japonesa.

O último terremoto forte nesta região foi registrado em 1923 e teve uma magnitude de 7,8 graus. Na época, mais de 140 mil pessoas morreram.

No Japão estão previstos 3 grandes terremotos: TOKAI, TONANKAI e NANKAI

regiões de terremoto

Em setembro de 2003 foi publicado pelo congresso (chuo bosai kaigi) a hipótese de danos no caso dos 3 terremotos  Tokai, Tonankai  e Nankai ocorrerem simultaneamente. A situação dos danos varia conforme o horário em que o terremoto ocorrer. As hipóteses são de cerca de 28.000 mortos, 960.000 casas completamente destruídas  e o prejuizo econômico chegará a cerca de 81bilhões ienes. As hipóteses de danos caso ocorrer apenas o terremoto de Tonankai é de 10.000 mortos e o valor do prejuizo econômico é de cerca de 37 bilhões ienes. A escala dos danos chegará a ser 3 vezes mais alta no caso dos 3 terremotos ocorrerem simultaneamente.

País preparado

Apesar das previsões nada otimistas, o professor Hirata lembra que o Japão é um país bastante preparado para fortes terremotos.

As normas de segurança para construções melhoraram depois de 1995, ano em que um forte tremor em Kobe matou mais de 6.400 pessoas, muitas das quais morreram por causa do desabamento de edifícios.

“O código de construção atual é resultado de muitas experiências de grandes desastres sísmicos do passado. Casas e edifícios construídos depois de 1981 entram no chamado novo código de construção, o que garante uma certa segurança”, explicou o pesquisador japonês.

No entanto, ele lembra que ainda há cerca de 20% de construções que não são nem um pouco resistentes a fortes tremores ou que possuem estruturas que podem causar facilmente incêndios.

Assista o vídeo:

Veja como se prevenir acessando:

Como se prevenir de desastres naturais.

Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/04/160422_japao_temor_terremoto_et

Deixe um Comentário

* Indicar Campos Obrigatórios